Andamento da criação da Agência de Desenvolvimento da Serra Gaúcha é apresentado e recebe apoios


No primeiro semestre do ano que vem, a Serra Gaúcha poderá ter a sua Agência de Desenvolvimento funcionando. Essa é a meta que foi apresentada na 47ª reunião do G30, nesta quinta-feira, pelo CEO do grupo, Thomas Fontana. O objetivo inicial era que esse projeto estivesse concretizado em 2020, mas a pandemia fez com que algumas etapas tivessem que ficar em stand by. “Nos bastidores, o projeto não parou. Fizemos estudos de formatos jurídicos, acessamos estatuto e outros dados de outras agências e seguimos trabalhando”, ressaltou.

Com a retomada do turismo se consolidando, o G30 voltou a projetar a implantação desse importante projeto. E, é claro, o primeiro passo foi apresentar para as entidades, lideranças e empresários que fazem parte do grupo. “Se não tivermos o envolvimento de vocês, a agência pode ser criada, mas vai ser apenas mais um CNPJ”, ressaltou Thomas. Além dessa fundamental observação, ele iniciou a reunião com outra questão. “Fui perguntado sobre quem é o G30 para liderar esse projeto. A agência é uma entidade privada, que pode ser lançada por quem quiser, e eu considero que não é um projeto do G30, mas da Serra Gaúcha”, acrescentou.

Esse assunto faz parte da pauta do G30 desde 2017, quando foi proposto por um membro, durante uma reunião. A justificativa é a mesma que já publicamos em outros conteúdos aqui no blog: trabalhar unido. A importância da união para o desenvolvimento do turismo foi ressaltada por pessoas de diversas áreas do trade e é, também, o entendimento do G30. Em 2019, já vislumbrando a implementação em 2020, o grupo de trabalho fez nove reuniões para traçar diagnóstico, projetos e passos que precisavam ser tomados. “Tudo que está sendo apresentado aqui não é da cabeça do Thomas, é uma visão de diversas entidades e lideranças que participaram desse processo construído com matriz swot, estudo e benchmark”, reforçou o CEO.

Entre os objetivos previstos para a Agência de Desenvolvimento, está evitar a sobreposição de projetos e a “competição" que acontece em alguns casos entre as microrregiões. Além disso, há muitas demandas que são comuns e podem ser reivindicadas de forma mais efetiva se tiver a agência encabeçando. Essa visão foi reverberada por integrantes da reunião, ou seja, importantes apoios já foram oficializados nesta quinta-feira.

A presidente do Bento & Região Convention e Visitors Bureau, Gabrielle Signor, reforçou a crença da entidade no trabalho regionalizado e citou inclusive a mudança recente no estatuto da entidade, explicada neste post. “O Bento & Região Convention e Visitors Bureau reconhece a necessidade da agência, acredita no trabalho feito de forma unida e está dentro do projeto”, afirmou.

Falando em nome da Aprovale, Deborah Villas Bôas Dadalt citou a participação do G30 na liderança do Comitê da Retomada, durante a pandemia, como uma chancela para que o grupo também assuma a criação da agência. “Nós vimos com muita clareza durante a pandemia que a bandeira precisa ser a mesma e que temos mais força trabalhando juntos. O G30 foi fundamental no Comitê da Retomada e se credencia para assumir esse projeto. Contem com a Aprovale e com o enoturismo”, disse.

As necessidades surgidas na pandemia também foram lembradas pela diretora da Biossplena, Giovana Ulian, que reforçou as demandas que existem na reunião. “Eu estou em um congresso em São Paulo e, ao se falar da Serra Gaúcha, as pessoas ficam muito empolgadas. Somos referência, mas ainda assim temos muitas demandas, precisamos de infraestrutura, de sinalização, e a agência terá esse papel de articulação. Nunca ficou tão claro o quanto essa entidade é necessária”, complementou.

Patrocinador do G30 e com foco permanente do desenvolvimento da região, o Sicredi Pioneira também manifestou o seu apoio. Paola Benevenuto reforçou a parceria com o grupo e a crença da instituição de que juntos se faz mais. O Sicredi Pioneira completa 120 anos em 2022 e, nesta semana, apresentou o calendário de ações comemorativas, focado, principalmente, em turismo e cultura. “A gente acredita que com a união de todos, conseguimos chegar muito mais longe”.

Monica Mattia, presidente do Corede Serra, abordou um ponto que faz parte da concepção da agência e foi debatido: o apoio governamental. “Sabemos que a iniciativa privada é fundamental e muito forte no desenvolvimento do turismo, mas muitas questões passam pelo poder público, então é importante que a agência una as duas pontas, iniciativa privada e governo”, ressaltou.

Esse apoio também já está garantido. Secretário Estadual de Turismo, Ronaldo Santini é integrante do G30 e participou da reunião: “O turismo precisa de responsabilidade e planejamento e vejo a agência com esse papel. Ela é necessária, portanto eu parabenizo o G30 por estar desenvolvendo esse trabalho e reafirmo o apoio da Secretaria de Turismo”.

Com 35 anos de atuação no turismo da região, a Atuaserra estava representada na reunião pela assessora de comunicação, Liliane Sene Luz, que fez coro aos demais participantes que se manifestaram a favor da criação da agência. “O turista vem para a região Uva e Vinho, vai para Gramado e para ele é tudo Serra Gaúcha, ele não faz a diferenciação. Nós enxergamos o turismo assim, unido, e queremos estar junto com vocês”.

O detalhamento do que foi feito até agora e dos próximos passos foi apresentado aos membros e já está prevista uma próxima reunião para dezembro ou janeiro. Com apoios importantes das entidades, de empresários e do poder público, a Agência de Desenvolvimento da Serra Gaúcha já tem alguns projetos no radar. Um deles está ligado à criação dos distritos turísticos, que também foi pauta de reunião do G30 e está detalhado neste post. “O G30 enxerga a necessidade da Agência de Desenvolvimento da Serra Gaúcha, seguirá trabalhando por isso e vislumbra como perfeitamente possível atingir a meta de instalar até junho do ano que vem”, finaliza Thomas.

32 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo
Patrocínio
Banrisul Vertical_colorazul.png
Sicredi-2.png
logo-Sicredi-Serrana-2.png