Festa da Uva projeta movimentar R$ 250 milhões na economia de Caxias do Sul


Um dos principais eventos do país, a Festa da Uva projeta movimentar R$ 250 milhões na economia de Caxias do Sul na edição deste ano. Marcada para os dias 18 de fevereiro a 6 de março, a festa deve receber 800 mil visitantes. Segundo o presidente da Comissão Comunitária, Fernando Bertotto, a média de turistas é de 20% a 30% do público total, o que significa que a cidade deve atrair entre 160 mil e 240 mil turistas.

Porém, é preciso considerar a pandemia, que ainda deixa algumas pessoas com receio de viajar. “Estamos esperando visitantes próximos, porque as pessoas têm viajado mais até um raio de 200 km”, avalia o presidente. Para garantir a segurança de todos, devido ao avanço da variante Ômicron, a prefeitura de Caxias do Sul está revendo os protocolos sanitários.

A montagem do backstage, onde acontece o acontecimento de retaguarda do setor de serviços, começou nesta semana, e a comercialização dos espaços dá uma ideia da força da retomada nos negócios ligados ao turismo. “A festa foi praticamente toda vendida, o setor de gastronomia já está todo comercializado e foi um sucesso. Temos ainda um ou outro espaço na parte multissetorial, mas devem ser ser vendidos logo”, afirma Bertotto.

Entre as novidades deste ano, está a Praça das Cidades, que reflete a união que o G30 defende entre municípios e negócios turísticos. “Acreditamos que o turismo se faz em parceria, então teremos realmente uma praça, com chafariz no meio, e espaço para 14 municípios próximos divulgarem suas festas e seus atrativos”, detalha o presidente. Ele reforça, ainda, que é comum que excursões que passarão por outras cidades incluam a Festa da Uva no roteiro, assim como pessoas que vêm para a festa acabarem circulando por outras cidades. “A Festa da Uva acontece dentro dos pavilhões, mas precisamos que todos estejam envolvidos, comércio, hotelaria, atrativos, inclusive de cidades próximas”, reforça.

A distribuição de uvas e os desfiles, tradicionais na Festa da Uva, terão destaque especial e também contribuem para a economia: “Distribuiremos 220 toneladas de uva somando o parque e os desfiles”. Ao lado do tradicional, estará a tecnologia, como uma novidade. Pela primeira vez, a festa terá uma área específica com grafeno, robôs e simuladores. Tanto a indústria de vanguarda quanto a conhecida polenta brustolada, que valoriza o imigrante na área destinada aos distritos, terão espaço e se somam para oferecer opções a todos os tipos de visitantes. Os shows também são responsáveis por atrair um bom público.

Para que essas pessoas venham, já está sendo feito há meses um forte trabalho de promoção. O diretor de Turismo e Hospitalidade da Comissão Comunitária, e também Secretário Municipal de Turismo de Caxias do Sul, Enio Martins, explica que essa é a primeira de duas etapas. “Estivemos em muitas feiras, as soberanas estão trabalhando direto e a receptividade tem sido muito boa. Estou muito otimista em relação ao movimento da festa”, ressalta. A segunda fase é o treinamento que será feito para quem vai trabalhar em contato com os visitantes. Segundo Enio, o objetivo é que a hospitalidade seja bem feita para que as pessoas levem boas lembranças, indiquem a festa e voltem a Caxias do Sul. “Somos o coração da Serra Gaúcha, temos o aeroporto e uma festa reconhecida. Estamos promovendo isso e trabalhando para receber todos da melhor forma possível”, complementa. Fechado por um ano e meio por causa da pandemia, o parque da Festa da Uva está passando por reformas, especialmente nos banheiros.

Todo esse trabalho, desde a concepção até a hospitalidade, é fundamental para que a festa contribua com a retomada do turismo na Serra Gaúcha.

20 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo
Patrocínio
Banrisul Vertical_colorazul.png
selo-120-anos-sicredi-pioneira-2022-01.png
logo-Sicredi-Serrana-2.png