top of page

Regiões unidas e muita promoção pautam o trabalho da Secretaria Estadual de Turismo


Foto: Júlio Soares/Objetiva

A regionalização e a promoção são as palavras que norteiam todo o trabalho da Secretaria Estadual do Turismo, conforme o secretário em exercício da pasta, Luiz Fernando Rodriguez Júnior. Em uma palestra de cerca de uma hora na Câmara de Indústria, Comércio e Serviços de Caxias do Sul (CIC Caxias), integrando a Semana Municipal do Turismo, ele posicionou a união dos municípios e das microrregiões como o centro de tudo que deve ser realizado e promovido. “Venho feliz para a Serra Gaúcha porque enxergo claramente o potencial que temos por aqui”, disse, antes de entrar no tema da sua explanação: Turismo e nova economia: sustentabilidade, tendências e regionalização.

Ao citar dados como os 106.939 profissionais admitidos pelo setor no Estado em 2022 e o saldo positivo de 11.579 postos de trabalho também no ano passado, ele ressaltou que o segmento é visto como lazer por quem é turista, porém, é preciso olhar para o outro lado: “O turismo é uma indústria e precisa ser tratado como tal, com incentivos e ações do poder público, principalmente de promoção dos destinos”. Ao reforçar que a região das Hortênsias responde por grande parte do desenvolvimento turístico gaúcho, fez duas reflexões. “Não temos que tirar o turista de lá para levar a outro lugar, temos que oferecer novas opções para o visitante que já esteve nas Hortênsias. E, muito importante, unir Hortênsias, Uva e Vinho e Campos de Cima da Serra em uma grande macrorregião chamada Serra Gaúcha”.

Olhando para a divisão, Rodriguez afirmou que o Estado tem hoje 28 regiões turísticas e 386 municípios que se classificam como turísticos. O objetivo é potencializar esses lugares a partir de três eixos de trabalho: sustentabilidade, inovação e mercado e infraestrutura. Durante a palestra, ele falou sobre as principais ações de cada um deles, dando uma ideia do que vem pela frente na secretaria. Confira alguns pontos:


SUSTENTABILIDADE

  • Criação do Plano Diretor do turismo, com a participação de todos os envolvidos, entidades, poder público e trade;

  • Estímulo à adoção do turismo com responsabilidade socioambiental;

  • Mapeamento de práticas para fortalecer o turismo inclusivo.

INOVAÇÃO E MERCADO

  • Incentivo ao turismo rural, considerando que as pesquisas apontam para um forte crescimento do turismo de natureza;

  • Fortalecimento dos produtos gaúchos, a partir do exemplo de Portugal, que aposta forte na gastronomia com o pastel de belém, os azeites e outros itens;

  • Investimento em branding e novo posicionamento de marca para fortalecer a promoção do destino Rio Grande do Sul;

  • Uso de ciência e dados para embasar decisões sobre em que destinos e quais situações devem ser investidos os recursos;

  • Investimento em mobile, para que se ofereça respostas mais rápidas às dúvidas dos turistas quando eles fazem buscas no seu celular;

  • Atração de grandes eventos e produções audiovisuais como filmes e novelas;

  • Criação de um selo pet friendly, a partir da informação de que donos de pets estão dispostos a pagar mais por lugares onde seus bichinhos são aceitos;

  • Parcerias com o Ministério do Turismo (Fungetur) e os bancos (linhas específicas) para disponibilizar recursos que fortaleçam o empreendedorismo turístico.

INFRAESTRUTURA

  • Investimento em Centros de Informações Turísticas em lugares em que o segmento ainda não está tão consolidado;

  • Fortalecimento dos apps dos destinos que já usam;

  • Aposta em Parcerias Público-Privadas (PPPs) e do Fundetur, um programa gaúcho, para melhorar a infraestrutura necessária para o desenvolvimento do turismo.

Quando tratou do que já vem sendo feito, o secretário falou do Aeroporto Regional da Serra Gaúcha, que será construído em Vila Oliva e ajudará a desafogar o Salgado Filho, e reforçou as articulações para que se fortaleça a aviação regional, com pequenos terminais em cidades gaúchas. E chegou no que vem acontecendo na Capital. “Porto Alegre era uma cidade de passagem, os turistas desembarcavam e iam para outros lugares. Estamos vendo uma transformação da Orla do Guaíba e já existem trabalhos também no Centro Histórico que estimulam os turistas a ficarem na Capital”, ressaltou.

Para fechar o raciocínio, Rodriguez destacou que não adianta as coisas existirem e serem criadas se não houver um trabalho “muito forte” de promoção. E afirmou que o governo do Estado está comprometido e fazendo a sua parte para divulgar o que temos no Rio Grande do Sul. Ao final, elogiou o setor pelo sucesso da campanha em busca de doações para o Vale do Taquari. “Eu ouvi falar muito que o trade não era unido, mas não foi isso que eu vi. Quando precisou, o turismo apareceu e fez a sua parte para ajudar. É disso que precisamos: união”.

19 visualizações0 comentário

Comentarios


Patrocínio
Banrisul Vertical_colorazul.png
selo-120-anos-sicredi-pioneira-2022-01.png
logo-Sicredi-Serrana-2.png
bottom of page